Sua ideia pode inspirar o mundo!

Confira nossos serviços.

quarta-feira, 5 de maio de 2021

A ESTRATÉGIA DE MARKETING DE SUCESSO POR TRÁS DE JULIETTE FREIRE


 O reality show mais popular do país caminha para encerrar os mais de 100 dias de confinamento do Big dos Bigs — a edição mais longa do Big Brother Brasil já realizada. Marcada por grandes rejeições, como o histórico 99,17% da rapper Karol Conká, o programa também foi palco do surgimento de um fenômeno: Juliette Freire.

Além do carisma, assim como a narrativa pela qual o programa seguiu, não há como negar que o trabalho nas redes sociais da paraibana foram fundamentais para consolidar o favoritismo. Afinal, ela teve um crescimento intenso na internet.

Com formação em publicidade e propaganda, especializada em marketing e comunicação visual, além de consultora de imagem, Carol Guimarães explica, com exclusividade ao site Aventuras na História, o que existe por trás desse sucesso.


Imagem e trajetória

Segundo a especialista, todo e qualquer reality se vale da construção de uma história, onde existem personagens fundamentais para a trama. Dessa forma, existem os vilões, os mocinhos, os coadjuvantes e os que ficam de lado, as chamadas plantas.

“Há algumas edições, a internet não era um fator tão decisivo na construção dessas narrativas, que ficavam restritas à uma pequena parcela da audiência que assinava o pay per view, mas principalmente à Rede Globo, que é responsável pela edição e exibição do programa”, explicou a profissional.

“Com o crescimento das redes, o posicionamento midiático se tornou fundamental para ir bem no jogo”, continuou Carol. “Como exemplo temos Manu Gavassi na edição passada, que usou de uma narrativa criativa pré-estabelecida, e agora a maquiadora Juliette, que se vale dos artifícios de marca pessoal para cativar o público.”

Uma boa estratégia

Segundo Carol Guimarães, foi realizada uma estratégia de posicionamento de imagem para construir o quebra-cabeça do personagem Juliette, que não deixa de ser uma peça na história contada pela edição 2021.

“Os administradores das redes sociais usaram, por exemplo, diversos momentos engraçados, sensíveis e de acolhimento dela para construir uma imagem popular e carismática, que foi apresentada através de pequenas tiras em formato de postagens nas redes, montando um quebra-cabeça sobre quem é Juliette”, analisa a especialista.

A equipe da paraibana também se utilizou fortemente do fator identificação e causas, ao retratar com afinco questões como xenofobia e psicofobia, que causaram nos internautas o sentimento de empatia.

"Juliette, logo no começo do programa, brigou com Karol Conká, que sempre se referia a ela como uma pessoa com problemas mentais e psicologicamente instáveis”, explicou. “Em outros pontos, era a origem da participante e seu modo de falar que geravam incômodo nos integrantes da casa.”

“Nesse caso, a equipe dela se aproveitou para lançar vários conteúdos nas redes, como forma de aproximação e entendimento, um exemplo é uma série que existe em seu Instagram chamada dicionário 'juliettês'”, analisa.

Discursos do bem

A especialista destaca que, apesar de outras pessoas também terem sofrido preconceitos dentro da casa, Juliette foi a que melhor soube utilizar disso para branding marketing. Nesse sentido, Carol pontua aqueles que não aplicaram o mesmo plano.

“Temos o caso da participante Thaís, que foi colocada como uma pessoa burra e lerda devido aos seus problemas em se expressar”, explicou a especialista. “Ninguém problematizou isso, ou se utilizou disso para falar de maneira assertiva sobre introspecção ou glossofobia, que é o medo de falar em público”.


“Essa imagem foi muito bem trabalhada pelas páginas de fofoca, que diariamente soltavam postagens sobre como a Juliette é uma pessoa boa, que de fato é, mas é preciso enxergar a maximização disso”, explica Carol.

“Podemos observar que foi feito o inverso com a Viih Tube, onde as mesmas páginas que vinham mostrando uma imagem positiva da Juliette se atentaram a assuntos para o lado negativo, como na questão da falta de banho, onde ela fica com uma imagem de pessoa suja. Ou com relação a puxação de saco dela com os líderes, passando a ideia de falsa. A questão é, todo mundo tem aspectos positivos e negativos, mas um lado é mais enfatizado que outro a depender de quem seja”, finaliza a especialista.

 Narrativa coesa

Sem esse tipo de posicionamento de imagem, é pouco provável que advogada tivesse crescido tanto em número de seguidores. Além disso, o trabalho com relação à marca pessoal de Juliette conquistou uma base sólida de fãs, que se enxergam na participante.

“A característica dessa torcida também foi moldada pelo trabalho dos administradores. São pessoas altamente engajadas e que passam a atuar como grandes divulgadores e captadores de seguidores, uma propaganda boca a boca”, pontua Carol Guimarães.

Para a especialista, a estratégia de Juliette está bem consolidada e provavelmente será a adotada no pós-reality também. “Na minha visão está tudo planejado, há marcas com contratos engatilhados. Não há como negar que Juliette vende”, diz ela.

Por fim, Carol pontua que esse pode ter sido um dos motivos que está fazendo a emissora rever como os administradores usam a imagem dos participantes nas redes, visto que em alguns casos eles se tornaram maiores que o programa em si.


Fonte: aventurasnahistoria


quinta-feira, 29 de abril de 2021

Importância do design gráfico no marketing digital



O design gráfico é a arte mais poderosa que deu uma nova vida ao marketing digital. Esta forma de arte moderna adicionou um toque contemporâneo ao perfil de propaganda de cada empresa. 

Ele também atua como um dos principais componentes para construir o conhecimento da marca e influenciar o processo de tomada de decisão do cliente.

Até o passado recente, muitos empresários e tomadores de decisão não conseguiam entender a importância do design gráfico. Agora, há um grande interesse, pois as duas indústrias estão se tornando inseparáveis.

Então, vamos mergulhar no conceito de design gráfico e no papel que ele desempenha no mundo do marketing digital.

O que é design gráfico?

O design gráfico comunica ideias ou mensagens de forma visual. Ele pode ser usado por qualquer tipo de indústria para transmitir informações complicadas de uma forma digerível.

O design gráfico é a arte de criar conteúdo visual para comunicar mensagens

Aplicando hierarquia visual e técnicas de layout de página, os designers gráficos usam tipografia e imagens para atender às necessidades específicas dos usuários e se concentram na lógica de exibir elementos em designs interativos para otimizar a experiência do usuário.

Quão essencial é o design gráfico para o marketing digital?

Como empresário, você certamente terá orgulho de seu negócio. Portanto, suas imagens não deveriam refletir isso também? Você vai aparecer no tapete vermelho de moletom? Não. Você vai se vestir para impressionar. Da mesma forma, os designs gráficos são o tapete vermelho da sua empresa.

Aqui estão algumas razões mais convincentes pelas quais o design gráfico é essencial para o marketing digital.

Então, você criou um design inovador agora é hora de apresentá-lo ao seu cliente. É aqui que as maquetes são úteis. 

Uma maquete é uma representação completa do seu design em um ou mais produtos do cliente, como etiquetas, cartões de visita, papelaria e sinalização. 

Uma maquete mais complexa pode mostrar o livro do cliente em uma estante ou nas mãos de um leitor, mostrando o mundo em que o produto habitará.

Fazer uma mockup é importante porque mostra ao cliente exatamente o que ele pode esperar do produto final desde que a maquete seja bem feita. 

Quando um designer apresenta uma maquete excessivamente estilizada, o cliente obtém um produto de design totalmente diferente do que esperava. E se sua maquete não comunicar a marca com precisão, ela não foi planejada bem o suficiente.

É por isso que criamos este guia para ajudá-lo a entender o conceito, os aspectos técnicos e as armadilhas associadas ao design.

Design gráfico vai dar vida a sua identidade visual e marca exclusiva

Ao optar pela ajuda de um designer gráfico ou de uma empresa de design gráfico, você pode estabelecer seu próprio tom e estilo exclusivo e se diferenciar dos concorrentes. 

Como resultado de sua identidade única, os clientes e clientes em potencial também se tornarão mais familiarizados com sua marca e o distinguirão da multidão.

Aqui estão alguns exemplos de design de marca bom e bem pensado.

Ao criar uma estratégia de marca exclusiva, você pode garantir que sua marca pareça consistente em todas as mídias.

O design gráfico transmite muito mais do que palavras em apenas imagem

A velha frase "Uma imagem vale mais que mil palavras" não poderia ser mais verdadeira. O design gráfico é importante para qualquer empresa que pretenda causar uma impressão positiva e duradoura. 

Quando se trata de divulgar a mensagem sobre o seu negócio, o design chama a atenção primeiro e depois as palavras. Juntos, eles transmitem uma mensagem poderosa. 

Por exemplo, no logotipo da Apple, não há nem mesmo um slogan, mas o design fala melhor do que palavras para a marca.

Os exemplos acima deixam claro que a criatividade sempre melhora a interpretação visual. A mensagem que você precisa transmitir pode ser tão criativa quanto a anterior. Essas peças de design impressionarão o cliente e aumentarão a popularidade da marca.

Como o Design Gráfico pode ajudar no cenário atual?

O design gráfico na área de marketing digital está em alta. A demanda por designers especializados na criação desses tipos de designs de marketing também está aumentando. 

Quando você está procurando uma equipe para assumir o cargo, conhecer os vários tipos de designs gráficos amplamente utilizados no marketing digital o ajudará a encontrar o especialista certo de que precisa.

As empresas investem em esforços de marketing para influenciar o processo de tomada de decisão de seu público-alvo. Os designers que criam gráficos para fins de publicidade e marketing trabalham diretamente com os tomadores de decisão e profissionais de marketing. 

O design gráfico da interface do usuário ou designs digitais são criados para serem visualizados em uma tela. Os designers que criam esses tipos de gráficos se concentram em muitos elementos visuais, como tamanho, cor, posicionamento do CTA e muito mais, para proporcionar uma boa experiência digital ao seu público-alvo.

Fazer o marketing da sua empresa no mundo online pode ser uma tarefa desafiadora. No entanto, seguir as tendências modernas do design gráfico e aplicá-las pode tornar as coisas mais fáceis.

Além de todas as tendências acima mencionadas em design gráfico que impulsionam o Marketing Digital, você também pode experimentar banners animados, modelos de e-mail minimamente projetados e anúncios gráficos sutis para atrair seu público potencial e convertê-los em clientes.

Além disso, as tendências do design gráfico continuam mudando ano após ano. 

Agora ser você quer dar uma repaginada no seu negócio, inovar no mercado de design virtual, chegou a hora de contratar esse profissional incrível que vai mudar a maneira que o seu negócio e vista na sociedade através dos seus conhecimentos e habilidades.


Saiba Mais

Fonte: brasil247



terça-feira, 23 de março de 2021

Do offline para o online: transforme seu negócio físico em digital

Muitas pessoas pensam que negócios físicos e negócios digitais não se misturam. Mas a internet é um ambiente muito receptivo para quem deseja empreender e existem diversos modelos de negócios que podem se adaptar ao seu nicho.

Ao dar esse salto e transformar seu negócio físico em digital, você terá a oportunidade de dar um salto nas suas vendas, já que o cliente estará a poucos cliques de distância.

Não é preciso jogar o seu negócio presencial para o alto e começar do zero. É totalmente possível aproveitar seus conhecimentos, serviços ou produtos e começar a empreender na internet.

Quer aprender como fazer essa transição o mais rápido possível? Confira abaixo!

insta: vinculoconsultoriamkt

Por que você deve apostar no mercado digital?

Vivemos um momento em que devemos nos reinventar e procurar novas soluções para continuar empreendendo. 

Ter um negócio digital significa não só continuar tendo um negócio, mas também ter a disposição um campo aberto com milhares de possibilidades para crescer e atender muito mais pessoas, sem comprometer seu tempo e qualidade de vida.

É uma migração que vale muito a pena, principalmente por estes motivos:

Redução dos custos do negócio

Um negócio físico possui muitos custos fixos, que acabam comprometendo boa parte do faturamento. Ao migrar seu negócio para o mundo digital, muitos destes custos deixam de existir, representando uma boa economia para a empresa.

Por exemplo, se você é professor de inglês e aluga um espaço para dar suas aulas, esse custo cairá por terra quando você começar dar as aulas pela internet. E se você imprime o material didático para distribuir para os alunos, é só mandá-lo em formato PDF.

Mais tempo livre

Como dono do seu negócio, você sabe que precisa dedicar muito tempo não só na administração, mas também das estratégias de divulgação. Também é preciso contar o tempo de deslocamento até o local, certo?

Mas quem empreende no mercado digital pode fazer isso de casa. Basta ter um computador, acesso à internet e um espaço para sentar e trabalhar.

Tirando o tempo para se deslocar até seu negócio, você poderá organizar melhor seus horários e ter mais tempo para sua família e outras atividades para relaxar.

Gestão mais ágil e fácil

Um negócio, independente de ser físico ou digital, depende de uma boa organização e administração dos seus donos para ter sucesso.

Como já dito acima, um negócio físico possui muito mais coisas para serem administradas, que acabam frequentemente gerando boas dores de cabeça para os donos. 

Quando se trata de negócios digitais, a gestão é mais simples, já que você terá acesso a informações de forma centralizada e automática.

Maiores oportunidades de crescimento

Outra característica presente em negócios digitais é a capacidade de escalabilidade. Sempre há oportunidades de crescimento, já que você define a quantidade de clientes.

Ao empreender no mercado digital, poderá chegar a pessoas de qualquer lugar do país, aumentar a exposição da marca, fortalecer o engajamento  e poder ajudar mais pessoas com suas soluções.

Ajuda na construção da sua imagem como especialista

Uma das estratégias mais eficazes para divulgar um negócio online é o marketing de conteúdo, que nada mais é do que criar conteúdos de valor e distribuí-los de graça pelas redes sociais e/ou blog.

Voltando ao exemplo das aulas de inglês, além de alimentar um blog com dicas de conversação e escrita, você pode criar um livro digital em PDF (e-book) com frases e termos em inglês que são importantes em viagens internacionais.

Isso faz com que o seu negócio dependa menos do “boca a boca” e mais do você tem a oferecer.

Como transformar seu negócio físico em digital?

Como podemos ver acima, negócios digitais podem ser muito acessíveis e rentáveis. Para quem deseja colocar a mão na massa e já partir para o mercado online, é preciso ficar atento às dicas abaixo.

Existem diferenças vitais entre ter um negócio físico e ter um negócio digital. Por exemplo, se você tem uma loja de bebidas, quanto mais pessoas entrarem na loja, maiores são as chances de vender, certo?

Um negócio online deve focar em qualidade e não em quantidade de pessoas. 

Mas calma! Seguindo estes passos, você conseguirá fazer uma transição tranquila e ser um empreendedor digital de sucesso. Vamos lá!

Escolha o modelo de negócio

A internet dá um amplo leque de possibilidades para empreendedores que desejam investir nesse mrecado. Alguns dos principais modelos de negócios digitais são:

  • E-commerce, onde você pode criar uma vitrine virtual para expor e vender seus produtos;
  • Marketplace, para quem deseja vender seus produtos pela internet através de plataformas de terceiros;
  • Prestação de serviços online, onde você poderá continuar atendendo seus clientes por e-mail, chat ou videoconferências;
  • Criação de cursos online em diversos formatos, como videoaulas e e-books.

Os cursos online merecem uma atenção especial: você pega o seu conhecimento e o transforma em aulas completas, onde os alunos irão assistir quando e onde quiserem.

Defina seu segmento e estude a audiência

escolha do nicho será essencial para definir o modelo de negócio e o que será vendido. Quando se trata de negócios digitais, é mais interessante focar em um nicho específico e não em um mercado inteiro.

Por exemplo, se você tem uma pizzaria, que tal criar um curso online ensinando pessoas sem muita experiência na cozinha a fazer pizzas em casa? 

No mundo digital, as pessoas procuram por soluções específicas. Ou seja, mesmo você atingindo um público menor, será possível ter um bom volume de vendas. Para entender melhor como escolher seu segmento, veja como fazer uma pesquisa de mercado.

Escolhido o segmento, é hora de entender sua audiência. Mesmo que traga sua base atual de clientes para o seu negócio digital, será preciso estudar potenciais futuros clientes e entender quais tipos de interesses e problemas eles possam ter.

Nesse sentido, definir a persona do seu negócio, ou seja, o perfil do cliente ideal, seus gostos, hábitos e necessidades, pode ajudar você a planejar estratégias e criar conteúdos muito mais direcionados e efetivos.

Crie um site responsivo

Caso o seu negócio ainda não tenha um site, agora é a hora perfeita para criar um. O primeiro passo é registrar seu domínio, ou seja, o nome do site. Esse processo pode ser feito no site registro.br.

Após a escolha e compra do domínio, é preciso um serviço de hospedagem, como o HostGator e King Host, que são duas das opções mais acessíveis do mercado.

Se não puder terceirizar um desenvolvedor para fazer seu site, é possível fazê-lo de graça pelo Google Sites ou adquirindo temas em sites como Theme Forest. O importante é que seu site seja responsivo e otimizado para dispositivos mobile.

Faça seu negócio chegar às pessoas certas

Não importa se você já tem uma base de clientes ou quer construir uma: é essencial investir em estratégias para que pessoas cheguem ao seu negócio digital. 

Neste post, damos algumas dicas para você abordar e divulgar seu conteúdo para atuais clientes, aqui vamos focar na construção de uma nova audiência:

Para começar, separamos três estratégias de marketing digital conhecidas por seus resultados efetivos:

1. SEO

A otimização dos mecanismos de buscas, também conhecida pela sigla em inglês SEO, é uma ferramenta poderosa para todo negócio digital.

Através de um conjunto de ações e estratégias, que possuem como base palavras-chaves relevantes, o site do seu negócio poderá ganhar uma posição de destaque no Google e aparecer para o público certo.

Para entender melhor como funciona toda a lógica por trás dessa estratégia e como implementar no seu negócio, recomendamos (e muito!) a leitura do nosso artigo sobre o SEO.

2. Copywriting

Copywriting pode ser definida como a arte da escrita persuasiva, muito associada aos textos publicitários. Porém, é algo que vai muito além.

Trata-se da arte de utilizar das palavras como método para divulgar uma marca, produtos e serviços, mas provocando sentimentos nas pessoas, como identificação e empatia.

Clicando no banner abaixo, você poderá baixar nosso material totalmente gratuito ensinando como criar copys perfeitas e potencializar suas vendas com essas técnicas.

3. Redes sociais

Por fim e não menos importante entra o marketing nas redes sociais. É através destes canais que você irá divulgar seu conteúdo e conversar mais diretamente com a sua audiência.

Também será o espaço para criação de mais conteúdos, como vídeos e posts com informações. Existem diversos técnicas e estratégias para gerar engajamento nas redes sociais, mas o principal é no que você tem a dizer.

Lembre-se: pessoas se conectam com pessoas!

Desenvolva um plano de marketing

Ter um plano de marketing é essencial para qualquer negócio, seja ele físico ou digital. É o documento que irá detalhar o planejamento e ações de marketing do seu negócio, colocando os objetivos de curto a longo prazo.

Voltando ao exemplo do curso de pizzas para iniciantes: para divulgar o curso, é preciso em quais estratégias apostar e como elas serão feitas. Não basta colocar o link do curso em qualquer lugar e esperar que as vendas venham sem nenhum esforço.

O plano de marketing ajudará exatamente nisso. Será lá que os objetivos e metas do negócio estarão, assim como a persona, os indicadores-chaves de sucesso, quem é o público, os prazos para cada estratégia, entre outros detalhes.

Aprenda mais estratégias para transformar seu negócio

Qualquer negócio pode ir do mundo offline para o digital, por mais tradicional que ele seja. Mas, é preciso dedicar tempo e esforço para aprender as estratégias citadas acima. Lembre-se de que é um processo que demanda tempo.

Por Luiza Sousa Alexandre

terça-feira, 9 de março de 2021

Google deixará de rastrear usuários para vender anúncios

 A Google anunciou, na última terça-feira (02), que deixará de rastrear o histórico dos usuários para vender anúncios. A empresa diz que está prezando por uma maior privacidade na internet e que para isso encontrará outras formas para oferecer publicidade direcionada.

 Em uma postagem em seu blog oficial, a companhia lembra de uma pesquisa do Pew Research Center que indica que 72% das pessoas sentem que estão sendo rastreadas o tempo todo quando estão online. Como havia anunciado no ano passado, a gigante reforça que está deixando de dar suporte para cookies de terceiros, que acabam identificando informações sensíveis.

instagram @vinculoconsultoriamkt
 “Se a publicidade digital não evoluir para atender às crescentes preocupações das pessoas com suas privacidades, arriscamos o futuro da web livre e aberta”, defende.

 Para colocar em prática essa preocupação com a intimidade dos usuários, a Google afirma que está desenvolvendo novas ferramentas. Ela argumenta que apesar de precisar manter a lógica financeira da publicidade digital, deverão ser priorizadas ações que rastreiem grupos de pessoas com interesses em comum, sem expor a individualidade de ninguém.

 O navegador Chrome, por exemplo, deve começar testes públicos com novas formas de anúncios a partir de abril. Esses dispositivos serão aprimorados a partir do feedback da comunidade e das outras empresas.

 “Continuamos comprometidos em preservar um ecossistema vibrante e aberto onde as pessoas podem acessar uma ampla gama de conteúdo com suporte de anúncios com a confiança de que sua privacidade e escolhas serão respeitadas. Estamos ansiosos para trabalhar com outros na indústria neste caminho”, finaliza.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

O que é backlink?

Backlink é um link feito de um site para outro. Motores de busca como o Google utilizam a qualidade e o número de backlinks como um sinal de rankeamento. Por isso, a aquisição de backlinks é uma estratégia fundamental em SEO.
Atualmente é praticamente impossível rankear no topo para palavras-chave com um alto volume de buscas e muita competitividade na página de resultados (SERP).
Os buscadores entendem os backlinks como se fossem uma indicação, afinal, se um outro site fez um link para o seu, é porque ele acredita que o seu conteúdo é de qualidade.

Por que criar uma estratégia de backlinks?

Como citei, os backlinks funcionam como uma referência. Se um site de qualidade e bem-visto pelo Google faz links para o seu, a tendência é que o buscador confie mais no seu site.
Mas não é apenas autoridade de páginas e do seu domínio que os backlinks influenciarão. Eles também vão impactar diretamente na:

  • aquisição de tráfego de referência (Referral);
  • fortalecimento da marca (Brand Awareness);
  • construção de relacionamentos.
Imagine se você conquista um backlink na página da Rock Content que rankeia em primeiro lugar no Google para SEO.
O ganho de autoridade é incrível, afinal, se o Google confia naquele conteúdo a ponto de mantê-lo em primeiro para uma palavra-chave tão disputada, com certeza ele confia nos conteúdos que ele linka (indica).
Esse é o benefício óbvio.
Agora, já parou para pensar que esse conteúdo recebe mais de 10 mil visitas mensais? Quantas dessas pessoas poderiam clicar e visitar o seu site? 
Quantas pessoas que não conheciam, poderiam conhecer a sua marca? E se desse link sai uma parceria de mais trocas e materiais criados juntos?
Bom, esse exemplo mostra como limitar os backlinks apenas ao ganho de autoridade retira um peso enorme do impacto dessa estratégia.

Quais são os tipos de backlinks?

Existem dois tipos principais de backlinks:

  • follow; 
  • nofollow.
A olho nu, eles não possuem nenhuma diferença. Ambos são links em uma página e ambos quando clicados direcionam o usuário para a página apontada.
Qual a diferença entre ele, então?
A diferença está no sinal que esses backlinks passarão para os bots e buscadores.
Quando os robôs do Google estão visitando o seu site e leem um código de um link, eles vão seguir aquele backlink e visitar as demais páginas.

A não ser que ele encontre um atributo chamado “nofollow”.
Os links follow são os links normais, eles passam autoridade (link juice) e direcionam os bots para essas páginas. 
Já os links com o atributo nofollow dizem aos buscadores que não “sigam” aquele link. É como se ele dissesse “eu até quero enviar meu usuário para esse link, mas não precisa ir lá, não pretendo passar nenhuma autoridade para ele”.
Portanto, em uma estratégia de link building o ideal é priorizarmos os links follow, ainda assim, os nofollow também são de grande valia. 
Mais a frente vou mostrar com detalhar o porquê você também deveria desejar receber este tipo de link.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Mídias sociais e saúde mental

Dizem que as mídias sociais viciam mais os adolescentes do que o cigarro e o álcool.

Para avaliar o impacto das redes na saúde mental, foi realizado o inquérito epidemiológico #StatusOfMind, publicado na “United Kingdom’s Royal Society of Public Health”.

A pesquisa entrevistou 1.479 jovens de 14 a 24 anos, no Reino Unido, no período de fevereiro a maio de 2020, para avaliar o impacto de 14 itens relacionados com a saúde mental e o bem-estar.

Foram eles: 1) formas de entender as experiências de outros sobre a saúde, 2) acesso a informações de saúde confiáveis, 3) apoio emocional e  empatia de familiares e amigos, 4) ansiedade, 5) depressão, 6) sensação de solidão e infelicidade, 7) qualidade do sono, 8) capacidade de exprimir sentimentos, pensamentos ou ideias, 9) autoidentidade – habilidade para definir quem você é, 10) percepção da aparência física, 11) relacionamento com a família e os amigos, 12) relacionamento com a comunidade, 13) bullying – ameaças e comportamentos abusivos, 14) necessidade de permanecer conectado pelo medo de perder experiências importantes.

Com base nessas questões, os participantes atribuíram notas às plataformas mais populares: YouTube, Twitter, Facebook, Snapchat e Instagram.

As plataformas foram bem avaliadas nas questões referentes à autoidentidade, à autoexpressão, ao fortalecimento de laços comunitários e ao amparo emocional.

Por outro lado, os malefícios estiveram associados à qualidade do sono, ao bullying, à imagem corpórea, à necessidade de se manter conectado por medo de perder experiências vividas pelos amigos, à depressão e à ansiedade.

Os adolescentes entrevistados classificaram, em ordem decrescente de efeitos positivos, as plataformas: 1) YouTube (a mais positiva), 2) Twitter, 3) Facebook, 4) Snapchat, 5) Instagram (a mais negativa).

YouTube foi a única plataforma em que os benefícios para a saúde e o bem- estar foram considerados superiores aos malefícios. Obteve índices de aprovação mais elevados na percepção das experiências que afetam a saúde alheia, no acesso a informações de fontes confiáveis na área da saúde, na redução dos riscos de depressão e de ansiedade e na sensação de solidão.

É interessante que Snapchat e Instagram, duas plataformas centradas na imagem, tenham sido consideradas as mais nocivas. A autoimagem é um aspecto ligado a sentimentos de inadequação, depressão e de ansiedade, muito prevalentes nessa fase da vida.

O Instagram foi bem avaliado nos quesitos de autoexpressão e de autoidentidade, mas esteve associado a níveis mais elevados de ansiedade, depressão, bullying e do medo de perder oportunidades.

A Royal Society recomenda que as plataformas publiquem avisos “pop up” advertindo o usuário sobre o número de horas acessadas, que chamem a atenção quando as fotos sofreram manipulação digital para exibir corpos com aparência de perfeitos, para que desenvolvam algoritmos que ofereçam ajuda no anonimato para adolescentes em sofrimento mental.

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

O que é Inbound Marketing?

 

As Ferramentas do Marketing Digital

Entenda melhor o que é inbound marketing, marketing de conteúdo, SEO e SEM

Sem boas ferramentas, um artesão não pode fazer a sua arte com perfeição. Mas ter boas ferramentas não faz de ninguém um mestre, é preciso conhecê-las para saber a melhor forma de utilizar cada uma para, então, criar uma obra-prima. Hoje vamos falar de algumas ferramentas do marketing digital: Inbound Marketing, Marketing de Conteúdo, SEO e SEM.

 Inbound Marketing

Também conhecido como Marketing de Atração, é uma vertente do marketing focada em atrair, converter e encantar clientes. O Inbound difere da ideia tradicional da publicidade e possibilita a conexão com o público-alvo por meio dos pilares: Marketing de Conteúdo, SEO e Estratégias em Redes Sociais.

O marketing tradicional sempre se baseou em interromper, tirando o foco das pessoas em suas tarefas para mostrar produtos que poderiam ser uteis em suas vidas, mas muitas vezes não eram. O marketing inbound funciona diferente, pois os possíveis clientes vêm até a empresa, atraídos pela sua mensagem. Isso facilita na apresentação de soluções e na conversão para clientes e divulgadores da marca.

O mundo cada vez mais digital e as mudanças radicais no comportamento do consumidor impuseram às empresas a busca por novas formas de conquistar e manter seus clientes, e o Inbound Marketing foi a melhor delas.

 

SEO – Otimização de Mecanismos de Busca

Do inglês Search Engine Opmization, o SEO são práticas e técnicas que buscam melhorar o posicionamento do seu site e conteúdo para que os buscadores, como o Google, tenham preferência por suas páginas, colocando-os no topo dos resultados para as buscas de uma certa palavra-chave.

Essa otimização ocorre de forma orgânica, ou seja, sem investimento ou compra de mídia online, utilizando estratégias On Page, que são o uso de palavras-chave estrategicamente dispostas ao longo do texto, além da relevância do conteúdo e sua estrutura; temos também estratégias Off Page, que se baseiam na utilização de links em outras páginas para atrair visitantes para o seu site, aumentando o tráfego.

Essas são etapas muito influentes no ranking dos buscadores, assim como na criação de autoridade e não devem ser ignoradas.

 

SEM – Marketing de Mecanismos de Busca

O nome é parecido, mas ele é diferente do SEO. A sigla em inglês é Search Engine Marketing e se refere a um conjunto de práticas que envolve a compra de mídias online, como links patrocinados, anúncios do Google Ads, Search Ads e Display Ads.

Para evitar que alguém com muitos recursos simplesmente conseguisse os melhores resultados, o SEM e o SEO possuem certos critérios para obtenção de melhor posicionamento nos buscadores e o principal é a relevância do conteúdo. Por isso é essencial que seja um conteúdo de qualidade, relevância e verdadeiro.

 

Marketing de Conteúdo

É o processo de criar e distribuir conteúdo relevante e valiosos com a intenção de construir um relacionamento com um possível cliente, informando ao mesmo tempo que desenvolve uma imagem de confiança e autoridade no assunto. É uma estratégia de longo prazo que permite o posicionamento da sua marca no lugar e no momento certo da jornada de compra para oferecer as melhores soluções.

 

Esse foi o nosso último conteúdo da série Transforme Seu Marketing Digital em uma Máquina de Vendas no blog. Mas não é o fim! Decidimos lançar um ebook com o mesmo tema, abordando outros aspectos do marketing digital. Se você gostou e quer se informar ainda mais, deixe seus dados abaixo e vamos lhe enviar um email assim que o ebook estiver disponível.  

 

 

 

 

Implementando o Marketing Digital

 

Um projeto de marketing digital pode gerar resultados rapidamente, mas a consultoria de um profissional capacitado é necessária.

O mundo em que vivemos é digital. O uso extenso e intenso da internet em nosso cotidiano, presente em cada momento, do trabalho até o lazer, através dos computadores e principalmente dos celulares, que estão sempre próximos ao toque, é o que torna o marketing digital algo tão rentável e imprescindível.

Mas como implementar essas práticas tão vitais para que a sua empresa ou marca adquira uma presença digital?

Procure quem entende do assunto  

A implementação do marketing digital é uma etapa decisiva, por isso é essencial a presença de uma empresa que preste a consultoria ou que elabore o projeto de marketing digital. Dessa forma, você terá como aliada a experiência de quem está capacitado para desenvolver as estratégias e contornar possíveis adversidades, adaptando a teoria para o seu cenário específico.

Após ter encontrado uma agência confiável, é necessário que vocês conversem e discutam o panorama situacional da sua empresa: qual a persona de seu negócio? qual o público-alvo? Em qual nicho de mercado sua empresa atua? Com esses tópicos definidos, se torna mais claro elaborar uma estratégia, que trará novas perguntas: sua empresa tem redes sociais e elas estão sendo bem usadas? Seu site está atraindo um bom fluxo de visitantes? Está na hora de criar um blog? Você faz vendas por e-commerce?

Se você ainda não possui um site, saiba que esse é o momento para criar um. Os sites funcionam como uma vitrine para os seus produtos e serviços, facilitando a visualização de possíveis clientes. É a partir do site que se pode trabalhar algumas das principais estratégias do marketing digital, como Inbound Marketing, o SEO e o Marketing de Conteúdo.

Essas estratégias serão o tema do nosso próximo artigo, não perca! se inscreva no campo abaixo e te avisaremos por email quando for lançado. Até lá!

O que é esse tal de Marketing Digital?

 

Uma tendência crescente, o marketing digital está cada vez mais presente no nosso cotidiano.

Muito mais que posts em redes sociais e internet, o marketing digital é um conjunto de ações estratégicas realizadas no ambiente online e offline, que buscam criar um caminho para que as empresas, pessoas e marcas alcancem os seus objetivos.

Isso mudou a maneira como as pessoas se relacionam com o mercado, negócios e produtos.

Hoje, uma das maiores modalidades de comércio são as vendas digitais, ou e-commerce, movimentando quantias bilionárias por ano. Uma grande parte desse resultado se deve ao marketing digital e suas várias estratégias.

Mas o marketing digital vai muito além da internet.
Marketing é mover o mercado e digital significa fazer isso de forma não presencial. Assim, ele não é realizado apenas de computadores e cada vez mais ele ganha importância nas empresas, sendo que muitas utilizam apenas ele.

Uma de suas maiores vantagens é ser acessível, permitindo que empresas dos mais diversos portes o utilizem.

O importante é saber como vender.

A forma que você vende na tv é diferente do que no rádio, que é diferente de como se vende em uma loja, que é diferente de como se vende na internet. No cerne, vender é uma troca de serviços ou produtos por dinheiro, mas o caminho para se chegar a esse objetivo, o “como vender”, é diferente para cada modalidade.

Por isso, o marketing digital não é algo tão simples como se parece, suas estratégias abrangem uma série de situações e devem ser específicas para cada meio: redes sociais, blogs, SEO, e-commerce etc.

Saber diferenciar e criar táticas para cada canal, identificando os seus usuários e entendendo aquilo que eles buscam é o que vai determinar o bom vendedor, aquele que vai conseguir transformar o seu marketing digital numa máquina de vendas.

No próximo artigo, vamos falar sobre como implementar o marketing digital. Se você não quiser perder, cadastre-se abaixo e avisaremos quando ele estiver disponível.