Sua ideia pode inspirar o mundo!

Confira nossos serviços.

quarta-feira, 13 de maio de 2020

5 formas como o neuromarketing ajuda a vender mais.

Neuromarketing é a aplicação da neurociência — o estudo do sistema nervoso — e da psicologia às ações de marketing para orientar as marcas a criar uma maior ressonância emocional com o consumidor. O termo foi cunhado por Ale Smidts logo após a virada do milênio, mas já são feitas pesquisas na área desde os anos 90.
Essa é uma forma revolucionária de entender o marketing, porque ele é tanto uma arte quanto uma ciência. É arte no sentido de que envolve encontrar soluções criativas para se conectar profundamente com as pessoas. E é ciência, pois tem foco em resultados e, para maximizá-los, deve ser testado, medido e analisado.
Quer saber mais sobre como o neuromarketing ajuda a vender mais? Confira a seguir.

Como o cérebro responde ao marketing?

Da junção da neurociência e da psicologia surge a neuropsicologia, isto é, o estudo de como o sistema nervoso em geral afeta o comportamento do indivíduo. Esse campo de pesquisa é promissor para o marketing, uma vez que o propósito deste é influenciar ações nas pessoas.
O neuromarketing procura olhar, então, para as respostas mais profundas de alguém diante da mensagem da marca. Quando falamos do acompanhamento de métricas, tratamos dos efeitos que determinada campanha teve. Porém, para o neuromarketing, é essencial entender os gatilhos que levaram uma pessoa a agir de tal ou qual maneira.
Agora, como isso pode ser avaliado?
Essa avaliação ocorre de diferentes maneiras, com maiores ou menores níveis de complexidade. Entre as mais complexas podemos citar exames de ressonância magnética e eletroencefalogramas que analisam as reações de partes específicas do cérebro, como o processamento de emoções.
Por outro lado, podemos citar o acompanhamento do movimento ocular para saber o que realmente atrai o foco do consumidor em determinado anúncio. Também é possível medir o nível de ocitocina no cérebro por meio de uma braçadeira que monitora o nervo vago, responsável, entre outras funções, pelo ritmo do coração. A ocitocina é uma substância relacionada à empatia, conexão entre pessoas e confiança.
O objetivo é entender que tipos de estímulo de marketing geram respostas positivas. É uma forma avaliar a relação da marca com o público muito além do que os indivíduos podem colocar em palavras ou são capazes de perceber.
O neuromarketing traz novas formas de avaliar o potencial de campanhas. (Foto via Freepik)
Como o neuromarketing ajuda a vender mais?
Tudo isso que vimos até aqui tem uma aplicação prática para as marcas?
A resposta é: sim, a capacidade de gerar conexões mais profundas com o público pode resultar, inclusive, em aumento nas vendas. Vamos destacar adiante cinco formas como isso é possível — e até mesmo essencial no marketing pós-coronavírus, com a maior necessidade de otimização dos investimentos.

Maior conexão emocional com a audiência

O neuromarketing é capaz de apontar emoções mais precisas que outros tipos de pesquisa. Um exemplo disso está na televisão dos Estados Unidos, que utiliza largamente consultas de opinião para avaliar o potencial de sucesso de uma estreia. Mesmo assim, 65% dos novos programas são cancelados no primeiro ano por não atingirem a audiência esperada.
Enquanto isso, testes com neurosensores chegam a 84% de precisão ao antecipar quais shows serão mais bem avaliados. Eles medem muito mais do que se uma pessoa gostou ou não do que viu, mas a intensidade da resposta — por conseguinte, a chance de ela voltar a consumir aquele conteúdo.
Transpondo isso para o universo do storytelling em geral, o neuromarketing indica quais histórias ressoam mais intensamente com o público. Pode mostrar também quais momentos de um comercial de TV desperta mais ou menos emoções no telespectador, orientando a criação de roteiros mais impactantes e que provoquem a resposta desejada pela marca.

Eventos que conquistam a atenção

marketing de eventos foi profundamente afetado pelo novo coronavírus. Seja on-line, seja presencialmente quando forem liberados, as empresas precisarão oferecer um estímulo muito maior para cativar suas audiências.
O neuromarketing pode gerar insights também nesse sentido. O uso das braçadeiras para monitorar o nível de ocitocina, por exemplo, revela o quanto a mensagem de um palestrante é capaz de prender a atenção e instigar os ouvintes. Isso orienta a construção de narrativas mais engajadoras para o público.

Anúncios mais eficientes

Por meio do monitoramento dos movimentos oculares pode-se entender como anúncios impressos atraem a atenção dos consumidores. Mais especificamente, quais são os focos da visão e se eles funcionam para a venda.
Abaixo vemos um teste comparando dois anúncios de fralda infantil em que a única diferença é a foto do bebê. O neuromarketing elimina achismos sobre qual peça funcionaria melhor e mostra que quando o modelo olha para o texto, nosso olhar é igualmente atraído.
Além dos anúncios impressos, esse tipo de teste serve para melhorar a usabilidade de páginas na internet e aplicativos, e aumentar as conversões de landing pages.
Note a diferença nos mapas visuais de calor entre os anúncios. (Fonte: Neuroscience Marketing)

Branding visual mais atrativo

Algumas formas de estímulo visual, com base na psicologia, já são aplicadas há muito tempo no marketing. A mais conhecida talvez seja a da psicologia das cores na identidade das marcas, em que tonalidades são usadas para gerar sensações específicas no consumidor: vermelho aumenta a fome ou sede, verde passa tranquilidade e limpeza etc.
O neuromarketing pode ajudar ainda a definir os modelos de embalagem que chamam mais a atenção no ponto de venda, como a disposição de vitrines afeta a percepção de produtos, entre outros aspectos de branding.

Economia ao investir na comunicação

Quando a marca sabe o que ressoa melhor com seu público-alvo e, mais detalhadamente, como ajustar um comercial de TV, um anúncio impresso ou qualquer outra comunicação para manter o envolvimento emocional o mais alto, ela concentra o investimento naquilo que gera mais retorno. A empresa deixa as suposições de lado e se baseia no entendimento mais profundo do consumidor para unir a arte da criação à ciência dos dados.

quarta-feira, 22 de abril de 2020

O que é SEO?

Você certamente conhece o google e com absoluta certeza, faz muitas buscas de produtos ou serviços que deseja consumir, tanto para você como pessoa física, tanto para sua empresa, pessoa jurídica.
Portanto, todas as pessoas possuem o mesmo comportamento, buscam informações de empresas na intermet, e é aí que entra o SEO (Search Engine Optimization). Como a própria tradução já explica, SEO é uma otimização para os motores de busca, isto é, são várias técnicas que influenciam os algoritmos dos buscadores a definir o ranking de uma página para determinada palavra-chave que foi pesquisada. Uma curiosidade, acesse a w3c e veja como estão as linhas de programação de seu site, estão 100% corretas, ou possuem erros?

A qualidade e a velocidade da busca pelo Google, e o que acontece com a classificação dos sites, transformou a empresa no maior buscador do mundo, deixando seus concorrentes insignificantes mediante sua presença.
Rastreamento, processo pelo qual os robôs do Google (Googlebot) identificam os sites para enviar ao índice do buscador. Utilizam  algoritmos para priorizar a sequência de indexação das páginas encontradas pelo robô.
Varrem desde URLs, conteúdo e sitemaps. Links existentes interno e externo, alterações e exclusões, durante o processo.
Na sequência vem a indexação, onde o Googlebot processa cada uma das páginas rastreadas para incluí-las no seu índice.
Os resultados mais relevantes são exibidos, logicamente que não se trata de uma relevância baseada em achismos, e sim determinada por mais de 200 variáveis de ranqueamento.
Não podemos desconsiderar o preenchimento automático do Google e o clássico “feitos para poupar tempo” que muitas vezes nos atrapalham.
Mesmo que você nunca tenha trabalhado com marketing digital, já deve ter ouvido falar do algoritmo do Google ou das redes sociais.
Esses algoritmos são responsáveis por filtrar o que é mais relevante para você e não simplesmente jogar todo o conteúdo disponível sem critério.
Os algoritmos estão em constante atualização, porém hoje, não iremos falar sobre eles.
Para finalizar, vamos falar sobre os fatores de ranqueamento do Google, conforme mencionado acima, ele define a priorização e a relevância dos resultados.
Várias pesquisas são aplicadas com a finalidade de entender os critérios utilizados pelo Google.
Segundo a Backlinko, seguem 10 principais fatores priorizados pelo Google:
1. PAGE AUTHORITY/PAGERANK
2. AUTORIDADE DO DOMÍNIO
3. RELEVÂNCIA DE LINKS
4. CONTEÚDO ORIGINAL E DE QUALIDADE
5. TAMANHO DO CONTEÚDO
6. PALAVRA-CHAVE NO TÍTULO (TAG TITLE)
7. PALAVRA-CHAVE NO CONTEÚDO
8. TEMPO DE PERMANÊNCIA NA PÁGINA
9. VELOCIDADE DE CARREGAMENTO DA PÁGINA
10. DESIGN RESPONSIVO
Por hoje é só, espero ter ajudado.
Se quiser saber mais, entre em contato com a agência Vinculo
www.vinculoconsultoria.com
Flávia Valentim

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Em pleno Carnaval, eu escrevendo sobre Publicidade!

Muito se confunde o conceito de publicidade com propaganda ou marketing. E você, sabe exatamente qual é o conceito correto?
Vamos falar um pouco a respeito?
Pode-se dizer que Publicidade é uma área do conhecimento, dentro da Comunicação Social, que visa o estudo das relações sociais e culturais, assim como também, comportamento de consumo. Todavia ela vive em nosso dia a dia participando de nossas vidas ativamente.
Por conta disso, nós publicitários, temos que nos manter sempre de olho nas tendências culturais e comportamentais da sociedade, para que possamos desenvolver e veicular anúncios que gerem identificação com o consumidor e cheguem ao mesmo de maneira assertiva, ou seja, sendo veiculada pelo veículo adequado.



Sendo assim, afirma-se também que publicidade é a estratégia do marketing que contempla o processo de compra do espaço em um veículo de mídia para veicular o anúncio da empresa contratante, seja produto, serviço ou marca, com o objetivo de atingir o público-alvo da empresa.
Se formos um pouco mais além, publicidade também pode ser interpretada como um reflexo da sociedade atual, pois da mesma maneira que estuda, ela também reproduz os comportamentos, conceitos e valores vigentes que seduzem o consumidor colocando-o em uma redoma compulsiva de compra.
Muita gente acredita que não se trata de um reflexo da sociedade e sim de um incentivo e molde para padrões de comportamentos.
Contudo, a publicidade é polêmica. Pode ser vista como mocinha, por informar e entreter, ou bandida, por incentivar o consumismo, conduzir comportamentos e invadir a nossa vida.

É isso ai, se você desejar contratar serviços de publicidade, pode falar comigo, Flávia Valentim, ou entrar em contato com a Vinculo Consultoria em Comunicação e Marketing Digital, que teremos o maior prazer em lhe atender.
Acesse www.vinculoconsultoria.com ou ligue 12 3912-9990

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Saiba Mais!!! Como fazer um plano de marketing digital para sua empresa?



Como fazer um plano de marketing digital para sua empresa?

É certo que muita gente se pergunta como fazer um plano de marketing digital antes de qualquer outra ação de divulgação online, mas é verdade também que esse percentual ainda é muito pequeno quando se fala de divulgação de pequenas e médias empresas.
A maioria delas se lança no marketing digital sem qualquer tipo de planejamento e os resultados são catastróficos.
O processo de elaboração de um plano de marketing digital é visto por muita gente como uma etapa tediosa e muito teórica e por isso é muitas vezes ignorado ou relegado a um segundo plano.
Concordamos que a etapa operacional é bem mais instigante e desafiadora, mas sem um planejamento estratégico em marketing digital, você estará navegando as escuras.
Ao criar um plano de marketing digital você já estará com meio caminho andado em direção ao sucesso. Para lhe ajudar nisso, a equipe da Academia do Marketing elaborou um roteiro básico de pontos que você deve incluir no seu planejamento.
Dicas sobre como elaborar um plano de marketing digital
Se você quer saber como fazer um plano de marketing digital de sucesso, leia atentamente o pequeno roteiro que criamos e faça as anotações que julgar devidas para adaptá-lo às suas necessidades.
1 – Defina muito bem seus objetivos
Uma recomendação fundamental para quem deseja saber como elaborar um plano de marketing digital: Antes de tudo, defina muito claramente seus objetivos. Ao traçar um objetivo você deve especificar claramente o que deseja com as suas ações de marketing digital para que seu planejamento seja bem focado.
Outro ponto de orientação importante são as metas a serem alcançadas, para que possamos definir as métricas e KPIs aplicáveis. Estabelecer prazos de execução também é essencial, já que devido ao volume de trabalho envolvido em qualquer campanha de marketing digital, a questão do tempo pode facilmente fugir  do controle.
2 – Pesquise e conheça o seu público alvo
Uma das etapas mais críticas para quem vai criar um plano de marketing digital é a de pesquisa das características do público alvo. Atualmente temos diversas ferramentas na Internet para saber com exatidão qual é perfil de visitantes de um determinado site.
Com base nesta análise podemos traçar o perfil de um determinado público e assim adequar a linguagem e o conteúdo a ser produzido para nossas ações.
Depois de definir seu público alvo, crie uma Persona, ou seja, um consumidor em potencial imaginário que possui todas as características do grupo que você deseja impactar. A personificação do seu público vai ajudá-lo bastante na hora de entender o comportamento do grupo, suas necessidades e anseios.
3 – Defina os canais a serem utilizados
As opções para divulgação de uma marca na Internet são muitas e é preciso, logo no início do projeto, definir quais são os canais mais apropriados para cada tipo de campanha em função do público alvo que pretendemos atingir. A variedade de canais não implica na obrigação de usá-los todos.
Você até pode usar um leque amplo de canais no início da campanha, mas deve monitorá-los de perto para identificar aqueles que não estão gerando tráfego ou conversão relevante para o site e então descartá-los.
4 – Capacitação da Equipe
No marketing digital moderno não há mais espaço para amadorismo, por isso, um dos pontos que você deve colocar em seu plano de marketing digital é justamente o da capacitação técnica da equipe. Qualquer ferramenta de marketing online requer treinamento e técnica, por isso é essencial ter pessoal capacitado para sua utilização.
Alguns empresários se sentem tentados a entregar seu marketing digital ao “rapaz da contabilidade que saca de Internet”, e depois não entendem o porquê do fracasso de suas campanhas. Não existe mais espaço para amadorismo ou improvisação no marketing online.
Saber como navegar na Internet é uma coisa e saber como fazer um plano de marketing digital, implementá-lo com profissionalismo e monitorar de forma adequada seus resultados é outra coisa completamente diferente.
Nessa parte, a equipe da Academia do Marketing pode lhe ajudar bastante com nossa grade de cursos e programa de formação em marketing digital. Com mais de nove anos no mercado, nossa equipe vem desenvolvendo, atualizando e aperfeiçoando treinamentos nas mais variadas área do marketing online, nos formatos presencial e também online.
5 – Determine qual o conteúdo a ser veiculado
Essa é uma etapa das mais importantes de todo o processo. A comunicação parte do princípio da afinidade de interesses e por isso precisamos desenvolver um conteúdo que crie um ponto de contato entre a empresa e o público que queremos impactar.
O consumidor moderno está em busca de informações antes de comprar alguma coisa e essa informação precisa ter qualidade e ser facilmente encontrada. Antes de qualquer oferta, é necessário disponibilizar conteúdo informativo, como em blogs, por exemplo.
Um dos maiores erros de marketing digital é justamente não ter um conteúdo de qualidade em seu site para poder iniciar o relacionamento com seus clientes em potencial.
6 – Elabore um cronograma de ações
Definir um cronograma de ações é fundamental para que possamos criar uma sinergia no marketing digital como forma de potencializar cada ação isolada. No marketing online moderno, existe uma correlação muito grande entre os diversos canais e explorar esse potencial de alavancagem é muito importante.
Peças promocionais, marketing de conteúdo, redes sociais e tudo mais precisa estar alinhado em termos de veiculação.
marketing digital atualmente é composto por uma sucessão de ações e por isso é preciso ter todos os passos muito bem definidos e cronometrados para que as diversas ações não acabem por se sobrepor e perder seu verdadeiro potencial. Se você quer saber como fazer um plano de marketing digital, um dos conceitos que deve ficar bem claro é que não existem ações isoladas.
7 – Defina como será feito o monitoramento
Antes de pensar em como elaborar um plano de marketing digital, precisamos definir como essas ações online serão acompanhadas e verificadas em termos de resultados. Para isso é necessário definir quais as ferramentas de monitoramento, como Google Analytics, por exemplo, serão utilizadas.
No caso de mídias sociais, é preciso também definir qual será a ferramenta utilizada para acompanhamento de menções e outras métricas específicas dessa categoria. O Google Analytics é uma ferramenta bem completa, mas não é o suficiente para acompanhamento de redes sociais.
Como você pode ver, a elaboração de um plano de marketing digital é trabalhosa e demorada, mas cada passo é importante para que os resultados surjam da forma desejada. O planejamento é a alma do negócio em qualquer empreendimento e no marketing digital não é diferente.
Para expandir a sua visão sobre os diversos canais de marketing digital, sugerimos que você também leia o nosso artigo Estratégias de Marketing Digital.
Agora que você já sabe como fazer um plano de marketing digital é hora de começar a elaborar o seu. Boa sorte e conte sempre conosco!

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

QUAL A IMPORTÂNCIA DO SEO PARA SUA EMPRESA?




QUAL A IMPORTÂNCIA DO SEO PARA SUA EMPRESA?

Estar bem ranqueado em buscadores, como Google e Bing, é uma exigência para lojas virtuais conseguirem audiência. De acordo com instituições como a Abradi, 93% dos processos de compra online se iniciam nos buscadores. Então, nesse mercado, a máxima “quem não é visto não é lembrado”.
Conforme pesquisas, a primeira posição na busca orgânica do Google recebe 18,2% de todo o tráfego. Segunda, terceira e quarta colocações recebem 10,1%, 7,2% e 4,8%, respectivamente, enquanto os outros resultados ficam com menos de 2% do tráfego, evidenciando a importância do ranqueamento.  Para disputar o topo dessa lista é necessário um trabalho de SEO consistente e bem planejado.
 O QUE É SEO?
Search Engine Optimization é o conjunto de técnicas e práticas que visam posicionar determinado site em buscadores (Google, Bing, Yahoo, etc). Tais técnicas atuam na otimização de diversos elementos de um site, aumentando sua autoridade, relevância e performance.
 FUNCIONAMENTO DO MOTOR DE BUSCA
Os motores de busca indexam e rastreiam endereços existentes na web e exibem os resultados de busca de maneira automatizada. Então, para criar boas estratégias de SEO e conseguir destaque, é preciso aprender como os algoritmos são lidos e interpretados pelos buscadores.
 COMO APLICAR AS TÉCNICAS DE SEO
Sites que trabalham eficientemente o SEO geralmente estão na primeira página das pesquisas de buscadores. Seguir algumas recomendações de otimizações on-page e off-page é fundamental para quem quer ver sua página bem posicionada e, consequentemente, recebendo grande tráfego.
-PALAVRA-CHAVE
O ponto de partida para sua estratégia de SEO é elencar palavras-chave que levarão pessoas a sua página.
-TÍTULOS
Títulos de destaque devem sempre conter as keywords previamente escolhidas.
-CONTEÚDO
É comum ouvir de especialistas que “conteúdo é rei”. E, de fato, esse elemento é decisivo para o ranqueamento de uma página.
-CRITÉRIOS
Três critérios são levados em consideração para a criação de conteúdo para SEO: relevância para aparecer nas consultas, credibilidade para ser considerado pelos leitores e autoridade para ser visto como referência.
 -UX
Além de palavras-chave e conteúdo, os buscadores avaliam também a experiência oferecida pelo site a seus usuários. É avaliado desde se o site é responsivo (se adaptam a diferentes tipos de dispositivos) até o tempo em que o usuário permanece nele.
-LINK BUILDING
A construção de link ocorre quando outros sites fazem referência ao seu, publicando conteúdo com links que direcionam a seu site. O algoritmo do Google entende que quanto mais direcionamento sua página tem, mais relevante ela é.
-URL AMIGÁVEL
Para gerar maior confiabilidade dos usuários e ficar mais aparente para os robôs de busca de Google e Bing, é preciso ter uma URL que possibilite a compreensão do conteúdo. Então, em vez de uma URL genérica, repleta de números e códigos, deixa-a autoexplicativa, com uma palavra-chave ou o título do conteúdo encontrado nela.
 -ROI EM SEO
Conforme pesquisas realizadas na internet revelou que 32% dos profissionais consideram o ROI em SEO excelente, deixando a estratégia em primeiro lugar no quesito retorno sobre investimento, a frente de métodos bem conceituados como e-mail marketing e links patrocinados.
Para medir o ROI, faça uma estimativa do tráfego que você geraria com determinadas palavras-chave em um período de sua escolha. Com estes números em mãos, compare o resultado conquistado com o previsto.
-MONITORAMENTO
É recomendável conferir a eficácia do trabalho periodicamente, acompanhar os resultados e investir na produção de conteúdo qualificado. Também é importante desmembrar conteúdos produzidos para redes sociais dos produzidos para o seu blog e site, mas mantê-los interligados por intermédio de chamadas e links de um para o outro.
Por meio do Google Analytics, é possível o monitoramento de suas fontes de tráfego de busca orgânica, viabilizando saber quais são as palavras-chave que as pessoas estão usando para encontrar seu site.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Meio & MensagemO que levou o Burger King a falar de política

Ovídeo publicado pelo Burger King na noite deste domingo, 30, na TV Record, durante o debate entre presidenciáveis, e nas redes sociais, repercute, inclusive, entre os próprios políticos. O perfil oficial do candidato Henrique Meirelles, por exemplo, chegou a retuitar o vídeo assim como o fez o Partido Novo.

Na ação, criada pela agência David e filmada em São Paulo, na semana passada, ao votarem em branco, pessoas dão  a terceiros o direito de escolher o recheio do lanche: cebola e maionese. Nas redes sociais, as pessoas questionaram se esse tipo de ação seria permitida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Ao Meio & Mensagem, enquanto acompanhava a repercussão, Ariel Grunkraut, diretor de vendas e marketing do Burger King Brasil, falou sobre o que levou a marca a entrar no assunto e os riscos envolvidos. O vídeo já chegou a mais de dez milhões de impacto no Facebook e oito milhões no Twitter.
“No sábado, ainda antes do debate, nós lançamos um post perguntando quem votaria em branco e enviamos o Whooper Branco na hora do debate para a casa dessas pessoas, foi uma forma de extrapolar essa ação”, afirma Ariel.
Ariel Grunkraut: O principal cuidado foi deixar claro para nós mesmos que o foco é o consumidor (Crédito: Divulgação)
Meio & Mensagem- O que levou o BK a entrar em um tema tão delicado e que gera debate nas redes?
Ariel Grunkraut – A ideia surgiu há três semanas quando começamos a ver, pelas pesquisas, a quantidade de votos em brancos e nulos. E considerando nossa responsabilidade como marca, de gerar conversas, identificamos que era importante falar sobre esse assunto. Era importante se posicionar e explicar para as pessoas o que acontece quando se vota nulo e branco. E quando falamos sobre hackvertising, tem muita relação com esse tipo de ação. Entrar na conversa como marca e ter uma opinião.
M&M – Quais foram os cuidados e as premissas dessa campanha?
Ariel – Não vou negar que houve um frio na barriga de entrar em um tema tão cavernoso. Mas a marca tem esse papel e, é importante deixar claro que, em nenhum momento tomamos partido nenhum. O principal cuidado foi deixar claro para nós mesmos que o foco é o consumidor. Que não quisemos, neste momento, se referir a partido A ou B.
M&M – Como estão acompanhando as repercussões, durante a noite e nas redes?
Ariel – Tem um fato curioso sobre a repercussão que tem relação com as discussões sendo geradas. Tem gente vendo propaganda subliminar no comercial a favor do Bolsonaro, outros a favor do PT, as pessoas estão associando os números da promoção que aparece atrás para associar ao número de determinado candidato e isso é algo que não se prevê.
M&M – Acham que essa campanha pode chegar ao Conar ou ao TSE?
Ariel – Não acredito. Seria uma surpresa se isso acontecesse. Pelo contrário, estamos ajudando muita gente ao explicar de forma divertida e clara um assunto que costuma ser tão confuso e que remete à importância do voto.
Fonte: Meio & Mensagem

domingo, 19 de agosto de 2018

Qual a necessidade de sua empresa ter uma consultoria de marketing digital!!




Qual a necessidade de sua empresa ter uma consultoria de marketing digital.


O que é marketing digital?
O marketing digital é muito abrangente e contempla diversos serviços. Abaixo você pode acompanhar algumas de suas variadas aplicações e conferir quais podem se adequar às suas necessidades.
Desenvolvimento web: sites, hotsites, blogs, lojas virtuais e páginas de captura;
Comércio eletrônico: impulsão de vendas, social commerce;
Redes sociais: campanhas e monitoramento de mídias sociais;
Marketing de conteúdo: produção de conteúdo e material rico;
Métricas: desenvolvimento de negócios digitais;
Mídias digitais: campanhas de anúncios;
Marketing de busca: SEO e SEM.
Qual o papel da consultoria?
O objetivo da consultoria em marketing digital é desenvolver uma estratégia e fazer as orientações necessárias para sua empresa. Então é fundamental que você saiba onde começa e termina a atuação da consultoria. Muitos gestores ainda confundem e exageram na interpretação desse tipo de trabalho, acreditando que todo o projeto será entregue à consultoria e que nada mais precisará ser feito.
Quais são as vantagens de uma consultoria em marketing digital?
Com uma consultoria  especializada você terá um diagnóstico de sua situação e, ao mesmo tempo, ganhará uma estratégia para ser executada. A ideia é lhe dar um norte e oferecer suporte para que você consiga impulsionar o seu negócio. As principais vantagens do planejamento de marketing digital são:
- Competitividade
Muitos empreendedores têm problemas para entender o mercado como todo. Mesmo experientes, depois de alguns anos se sentem travados, sem saber como está a concorrência e o que deve ser feito para se destacar. Uma consultoria em marketing digital pode ser a solução para tornar os seus produtos e serviços mais competitivos.
- Conhecimento de seu público-alvo
Não conhecer corretamente o seu público é um dos principais motivos para se ter resultados abaixo do esperado. Em função disso, existem dúvidas sobre como transmitir sua mensagem para atrair clientes. Numa consultoria em marketing digital você aprenderá sobre sua clientela e construirá a sua audiência.
- Otimização de processos
Uma consultoria em marketing digital acabará com gargalos ou problemas na sua produção. É possível descobrir quais etapas estão lhe prejudicando e pensar no que fazer para melhorar.
- Aumento dos lucros
Como contratar uma consultoria?
No momento de contratar uma consultoria é preciso encontrar uma empresa comprometida com os seus resultados, que saiba a importância de prestar um serviço de qualidade e esteja pronta para oferecer suporte quando necessário. Para garantir um projeto de sucesso, você deve conferir a estrutura da consultoria e quais são suas qualificações.
Você estará, na verdade, contratando os profissionais certificados e as ferramentas que eles utilizam no trabalho. Conheça o portfólio de serviços e casos de sucesso com alguns clientes. Além disso, confira como é a metodologia de trabalho, procurando saber como entregam relatórios e apresentam os resultados. Isso é interessante para saber se você não terá problemas de comunicação.
Percebeu as diversas vantagens em se contratar uma consultoria em marketing digital? Em qualquer momento de seu negócio sempre considere essa opção, pois você pode colher um grandes frutos.
 (globalad.com.br)

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

A importância de se ter um site para sua empresa



A importância de se ter um site para sua empresa.

Um site na internet não é mais um luxo para poucos, e sim uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado.

O Brasil é o país que apresenta maior crescimento, atualmente, no que toca à usuários de Internet. Relativamente, este crescimento é maior até mesmo que o dos Estados Unidos. Com o aumento da interatividade, segurança e velocidade, aliado à redução dos preços cobrados pelo acesso à rede, a Internet deixou de ser um mero instrumento de pesquisa para tornar-se uma ferramenta de marketing e vendas muito poderosa.

Ter uma página na internet se tornou indispensável para empresas de todos os tamanhos: grande, médio ou pequeno porte. Esta ferramenta possibilita comunicação junto ao seu cliente sobre os seus produtos e serviços, apresentando seus diferenciais. Mas não basta ter um site "bonitinho" e esperar que chova clientes! Pelo contrário, ter um site na internet é apenas o primeiro passo para a empresa que está "engatinhando" no mundo virtual, é o começo de muito trabalho para que essa ferramenta seja utilizada de forma inteligente, que possa corresponder positivamente ao tempo e dinheiro investidos.

Não é mais possível pedir ao "sobrinho de seu amigo que entende de computador" para fazer um site para sua empresa. Um site é a imagem de sua empresa na internet e, assim como você não compareceria à uma reunião de bermuda e camiseta, seu site deve ser o mais bem elaborado possível. 

Cerca de 95% das empresas que atualmente estão na internet não obtêm o sucesso esperado. Por quê? Simples: quem o produziu não pensou no público alvo do site, pensou apenas no "design" da página.

Pessoas ligadas a área de comunicação afirmam, hoje, que as empresas que não aderirem logo a esta nova mídia tendem a perder mercado e, no futuro, podem vir a ter seus negócios seriamente prejudicados.

Antes de começar a desenvolver um projeto web, é necessário saber o que seus clientes querem quando entram em seu site, é necessário satisfazê-los, cativá-los para que se sintam seguros em relação a sua empresa, e percebam os valores que a destacam no mercado!


(Administradores.com.br)